"Alfabetizar é preciso"

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Halloween (Dia das Bruxas)

           O Dia das Bruxas, cujo nome original em Inglês é Halloween, é um dos eventos culturais mais tradicionais em alguns países do hemisfério norte, mais precisamente no Reino Unido, Irlanda, EUA e Canadá. Tem como origem festas e celebrações dos antigos povos que habitavam a região onde hoje situa-se a Grã-Bretanha, os Celtas.
          Durante o Século V (D.C.), na Irlanda Celta, o verão terminava em 31 de outubro, data em que era comemorado também o feriado de Samhain – o Ano Novo dos Celtas – uma data festiva, portanto.

A palavra Halloween
           Apesar de existirem algumas teorias sobre a origem da palavra Halloween - entre as quais uma que a explica como derivada da palavra “hallowinas”, nome dado às guardiãs do “saber oculto” das terras do norte, ou seja: “bruxas” - ,  a mais aceita por estudiosos do assunto é que, de fato, a palavra seja uma versão diminuída da expressão “Allhallowseve” (noite de Todos os Santos), pois em Inglês arcaico, “hallow” que dizer pessoa santa. Portanto, pode-se dizer que a palavra halloween tem origem católica.





 As tradições
           Fantasias: Uma das lendas do Halloween, de origem celta, é de que as almas dos que morreram durante o ano voltavam à procura dos corpos dos vivos para deles se apossar. Como, obviamente, os vivos não gostavam muito dessa ideia, na noite de 31 de outubro, apagavam todas as luzes de suas casas (tochas e fogueira) para que essas ficassem frias e inóspitas, vestiam fantasias e saiam pelas ruas da aldeia fazendo o máximo de tumulto que pudessem, acreditavam que desta maneira espantariam os espíritos.
            Trickortreat (Doces ou travessuras): Esta brincadeira é originária de uma tradição do Séc. IX. No dia 2 de novembro, Dia de Finados, os cristãos iam de casa em casa pedindo o “soul cake” – bolo de alma -, que eram feitos de pão com groselha. Por cada bolo recebido, o cristão orava pelos mortos da família que doava.
            Jack O’ Lantern (Lanterna de abóbora): Outra tradição oriunda do folclore irlandês. É a história de um homem chamado Jack, que era alcoólatra e mau caráter. E que por conta de seu comportamento ruim, após sua morte, não foi aceito no céu, nem no inferno, já que durante a vida enganou o Diabo por duas vezes. Esse, por pena, ofereceu à alma penada de Jack um punhado de brasa, para que ele pudesse iluminar sua caminhada eterna pelo limbo. Como a brasa lhe queimara as mãos, Jack a coloca no interior de uma abóbora, transformando-a numa lanterna. Segundo a lenda, no dia 31 de outubro, quem presta atenção consegue enxergar uma fraca luz a distância, é Jack vagando com sua lanterna.








Halloween no Brasil
           No Brasil, a história e a comemoração da data ainda são restritas às escolas onde se pratica a Língua Inglesa, a bares, a restaurantes e a boates que produzem festas temáticas para seus alunos e clientes respectivamente. O principal objetivo de difundir o Halloween entre nossas crianças é mostrá-las a existência de outras culturas e que é interessante e até importante conhecê-las, pois, além de aguçar sua curiosidade para o novo, vivemos em um mundo cada dia mais globalizado, onde podemos ter de dividir espaço com pessoas diferentes, para que a convivência multicultural seja mais agradável, nada melhor do que conhecê-las. Apesar de tudo isso, todos os anos nesta época, brasileiros ufanistas tentam, à sua maneira e sob a justificativa de que se trata apenas de cultura inútil e estrangeira, descredenciar a festa. Fosse assim, nossas crianças não poderiam esperar por Papai Noel no Natal.


É Halloween na E.M. João de Camargo

         Para não deixar a data passar em branco e fazer valer o propósito acima, em que acreditamos, a E.M. João de Camargo, através de seus professores de Língua Inglesa, fez um trabalho com algumas turmas, onde, além de decorar salas e o “English Wall” com trabalhos produzidos pelos próprios alunos, foi mostrada toda a magia que cerca o Dia das Bruxas desde tempos remotos....

 
 












Nenhum comentário:

Postar um comentário